Compartilhar: um caminho sem volta para quem busca crescer
dezembro 5, 2018
Coworking para psicólogos: o espaço para seus atendimentos e novas oportunidades
dezembro 19, 2018

Da CLT ao empreendedorismo: deixando a segurança da carteira assinada de lado

Vale a pena deixar o conforto de uma carteira assinada pra trás e se aventurar em uma carreira independente? E a falta de estabilidade, será que é um problema?

Eu quero ser livre!

Vejo por aí muita gente que gostaria de “ser livre”, mas tem medo de soltar as amarras. O que é bem normal quando é preciso pagar contas, aluguel, ajudar a família no sustento (ou provê-lo todo sozinho). Até aí sem novidades. A questão é que dá para minimizar o impacto da transição quando planejamos nossos próximos passos na carreira.

Não pense que é só jogar tudo para cima e ir para a praia vender artesanato (bom, para alguns até é – sorte deles!), pois a transição entre o emprego e o empreendedorismo é  lenta e gradual.

Leia a seguir, a história de Carolina Machado – 26 anos

O empreendedorismo, com todos os seus altos e baixos, acabou se tornando meu
porto seguro.

Sou revisora e redatora de textos. Tenho empresa desde 2011, mas só entre o fim de 2014 e o início de 2015 é que me tornei empreendedora full-time. Antes disso, tinha medo de largar tudo e viver só dos meus freelas. A verdade é que o emprego também nos proporciona vantagens e nem sempre é fácil desconsiderá-las para mudar de vida. (Como abrir mão de um ótimo e baratinho plano de saúde? :P)

Mas o ponto-chave é que o tempo como CLT e freela part-time me ajudou bastante a me estabelecer no mercado e amadurecer meu lado empreendedor. Embora seja mais cansativo ter dupla jornada de trabalho, ter aquela renda garantida no início,  poupa o empreendedor de muitas dores de cabeça para fechar as contas no fim do mês. Ajuda também a aumentar a experiência, detectar problemas que possam ser resolvidos, estabelecer uma rede de contatos — caso você decida empreender na mesma área em que trabalha.

Mudando o mindset

Chegará a hora em que uma chavinha virará na sua cabeça e você dirá: “Estou pronto! Já tenho alguma clientela fixa, já tenho alguma experiência para administrar meu tempo e meus ganhos sozinho, já sei me virar como gente grande.” Então acontece.

Das vantagens e desvantagens

Ser freelancer e empreendedor part-time é vantagem na hora de diminuir os riscos. Além do lado financeiro, você tem um plano B em relação ao seu emprego CLT. Imagine que amanhã aconteça um grande corte de custos na empresa onde você trabalha. Como fica? O melhor é nunca ser pego de surpresa.

Por outro lado, sua ideia de negócio também pode não se provar lucrativa, ou talvez você precise modificá-la muitas vezes antes de sair algo rentável, ou você pode querer criar uma clientela antes de alçar voo. Então o emprego pode segurar as pontas para você durante esse tempo, e as noites mal dormidas valerão a pena mais adiante.

Last but not least

Sim, ser empreendedor part-time  não é nada fácil. Sem dúvida é um investimento. Você vai investir horas de descanso e lazer durante a transição. Meu maior conselho é: faça valer a pena; faça por motivos que tirem você da cama pela manhã e façam você dormir satisfeito à noite.

Busque por aquilo que acredita ser o certo, e não porque alguém disse que é legal.

Carolina Machado acredita no poder que as palavras têm e por isso trabalha com elas. Graduada em letras pela PUCRS. Revisora há 7 anos e criadora do blog revisaoparaque.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *