5 ideias para celebrar a equidade de gênero no Dia da Mulher
março 6, 2019
O poder extraordinário do trabalho colaborativo para fortalecer a inteligência emocional e a mindset de empresas e indivíduos
março 21, 2019

Cooperação ou Competição? Eis a questão!

As expressões cooperação e competição parecem antagônicas, mas podem não  ser,  pois  há  espaço  para  que  sejamos  competitivos ,  mas  ao  mesmo tempo  cooperativos.  Esse  seria  o  ambiente  ideal  para  o  desenvolvimento saudável da sociedade.

 

Desde  os  tempos  antigos  cooperação  e  competição  dividem  espaço  nas relações  entre  os  seres  humanos,  pois  somos  levados  a  sermos  competitivos (egoístas) e igualmente cooperativos (altruístas). Óbvio  que  toda  a  análise  de  competição/cooperação  deveria  passar  pela prévia  verificação  dos  costumes  locais,  das  tradições  e  culturas  de  cada povo,  de  cada  cidadão  em  si.

 

A cooperação deve  prevalecer sobre a competição, principalmente porque cooperar tem um legado muito mais benéfico do que competir, quando  não usamos  a competição como algo saudável e com limites.

 

De  acordo  com  o  dicionário  Aurélio:  cooperar  é  operar  simultaneamente;  trabalhar  em  comum;  colaborar para  o  bem público; cooperar para o trabalho em equipe, e, competir é o ato ou efeito de competir; busca simultânea por dois ou mais indivíduos de uma vantagem, uma vitória, um prêmio, etc.

 

No entanto, é  possível  o  convívio  conjunto  de  competição  e  cooperação,  como  por exemplo, numa  Equipe de  Vôlei, onde ocorre a competição entre os atletas para ser titular ou o melhor levantador. Porém,  no momento do jogo, prevalece a cooperação, o senso de ajuda, pois somente haverá ataque, se houver uma boa defesa. Toda equipe ganha e não apenas um dos jogadores.

 

O  cooperativismo  é  um  dos  modelos  de  cooperação  mais  bem  sucedido  e essencial para o desenvolvimento  econômico social, em todos os aspectos. 

 

O  sistema  cooperativista  (cooperação)  é  um  elemento  realizador  de  justiça social e de respeito amplo ao princípio  da dignidade da pessoa humana. Bem incentivado,  pode promover  melhorias em comunidades carentes e em bairros periféricos,  pois  é  um  gerador  de  renda,  que se  aplicada  em  proveito  dos cooperados,  pode  melhorar  a condição de vida local. 

 

A  cooperação  através  do  cooperativismo  atinge  no  Brasil  números significativos. Atualmente são aproximadamente 6.587 cooperativas, mais de 10 milhões de associados e 304 mil empregados. Nos últimos anos , os  recursos  destinados  aos  empréstimos  nas  cooperativas  somaram cerca  R$  6,8  bilhões. De  acordo  com  o  Banco  Central,  as cooperativas  de  crédito  movimentaram  mais  de  R$  103,15  bilhões.  Essas cooperativas  possuem  mais  de  cinco  mil  pontos  de  atendimento,  o  que representa  a  terceira  maior  rede  de  atendimento  do  País.  

 

Os  números  impressionam,  mas  os  benefícios  vão  além  deles,  pois  a cooperação entre as pessoas, seja no ambiente doméstico, no esporte,  nas corporações  e  até  mesmo  no  modelo  de  cooperativas  é  um  caminho  de sucesso  e  que  merece  ser  incentivado,  em  contrapartida  a  competição desmedida,  sem  fundamento.

 

Certa  vez,  um  discípulo  caminhando  com  seu  mestre,  fez  a  ele  a seguinte  pergunta:

 

—  Mestre, qual a diferença entre o céu e o inferno? O mestre, depois de um breve instante, respondeu:  —  Imagine um lugar onde existem várias pessoas  e  imensos  montes  de  comida,  caracterizando  uma  fartura  inesgotável,  onde  não  deveria  haver,  em  hipótese  alguma,  a  fome. Porém, cada indivíduo, para alcançar a comida, só dispõe de um longo bastão de 2 a 3 metros de comprimento e, por isso, não consegue levar a comida até sua própria boca. Assim, todos vivem sempre com fome e não conseguem se alimentar, mesmo tendo diante dos olhos uma fonte interminável de alimentos. Este é o inferno. — Imagine agora outro lugar –  continuou  o  mestre  –  que,  assim  como  o  primeiro,  tem  enormes montes  de  comida  e  cada  indivíduo  também  só  possui  um  enorme bastão para se alimentar e não consegue levar o alimento a sua própria  boca,  mas  ao  invés  disso,  as  pessoas  alimentam  umas  as  outras vivendo  consequentemente  em  fartura  constante  e  sem fome. Este é o céu.

 

Sozinho pode se chegar mais rápido, mas juntos com certeza chegamos mais longe.

Fonte: Constantino Savatore Morello Junior

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *