5 tendências de empreendedorismo para 2020
novembro 11, 2019
Quero abrir uma empresa, o que devo fazer?
janeiro 29, 2020

Ideias de negócios para empreender em 2020

O mercado formal de trabalho, com carteira assinada, férias e 13º salário, já não tem oportunidades como antigamente e as vagas são escassas. Na outra extremidade temos o mercado informal, microempresas e pequenos negócios. O ponto de equilíbrio pode ser então o empreendedorismo, oportunidade de tirar do papel sua ideia e construir algo sólido a médio prazo.

A notícia boa é que, a economia, que sofreu retração nos últimos anos, já deu sinais de recuperação, com projeção de crescimento do PIB em 2,32%, dados de novembro da Secretaria de Política econômica.

O primeiro passo, é claro, é decidir em que empreender.

Pensando nisso listamos uma série de ideias que permitem iniciar pequeno, trabalhando de casa ou com um pequeno investimento em infraestrutura no início, mas que com um pouco de planejamento poderão se transformar em um empreendimento de sucesso.

  1. Design Gráfico

O mundo está cada vez mais digital e esse cenário irá sofrer uma aceleração ainda maior nos próximos anos. Dá pra imaginar que a demanda por material digital está crescendo na mesma proporção. Quer seja cartões de visita digitais (para serem enviados via whatsapp), artes gráficas para postagens nas redes sociais ou desenhos para transformar o apelo visual de ebooks, o mercado está carente de profissionais com talento para desenhar e para fazer isso através de recursos digitais.

 

Bastando um computador e uma licença de software de design, tipo Adobe Ilustrator, você pode começar um pequeno negócio como freelancer no início, permitindo a expansão à medida que for gerando clientes fiéis, com aumento de demanda.

 

  1. Maquiagem em domicílio

Qual a mulher que não gosta de maquiagem? A verdade é que todas gostam muito, mas nem todas sabem fazer isso bem. Certamente a maquiagem diária não é o foco aqui, mas sim eventos sociais que pedem algo mais elaborado. E o mercado está disposto a pagar para quem é capaz de fazer isso em domicílio, evitando que as clientes precisem se deslocar e enfrentar fila, transformando o serviço em algo personalizado. Uma vez formada a clientela é possível expandir o negócio para revenda de cosméticos e itens relacionados.

 

Se você tem habilidade para fazer maquiagem, penteados ou tratamentos de beleza, deve avaliar esta oportunidade como uma forma de ganhar uma renda extra. Com baixo investimento (menos de $2000), você consegue começar o seu próprio negócio como maquiadora, que pode ser a base para um empreendimento bastante lucrativo.

 

  1. Redator (conteúdo para sites e redes sociais)

Toda empresa, mesmo as menores, precisam de um site, principal vitrine para seu empreendimento. Da mesma maneira, já é obrigatório fazer publicações nas redes sociais.

 

Só que redigir artigos para sites ou textos para uso no Facebook ou LinkedIn, dá trabalho e muitas empresas não têm tempo ou recursos próprios para estas funções. Assim, um profissional com domínio da língua portuguesa e que conhece as boas práticas de redação para os meios digitais pode encontrar um promissor mercado com estas demandas. Você pode tentar obter seus próprios clientes ou trabalhar para agências de marketing ou comunicação.

 

  1. Fotografe para Bancos de Fotos

Outro trabalho que pode ser o ponta pé inicial para seu negócio é o serviço de fotografias para bancos de fotos. Empresas como o Shutterstock, Unsplash ou iStockphoto compram fotografias para compor seu banco. Contudo, não basta apenas gostar de tirar fotos tipo “comercial de margarina”. Sim, esses são um dos tipos mais frequentes, mas é necessário que as fotos sejam de boa qualidade, o que pode exigir um trabalho de tratamento digital. Considere o investimento em um computador para este fim. Para empreender em maior escala você pode partir para um site próprio, onde possa apresentar seu portfolio.

 

  1. Tutor de informática

Com os avanços tecnológicos e a participação cada vez maior de computadores no cotidiano das pessoas, você talvez imagine que as pessoas já dominam grande parte dos recursos e funcionalidades. Apesar de que os jovens têm, de fato, mais familiaridade com os computadores, há uma infinidade de novos programas e aplicativos, que são lançados todos os dias, na mesma velocidade que os novos computadores, tornando difícil o aprendizado.

Você pode atuar como um tutor particular, ensinando de forma presencial ou remotamente truques, atalhos e resolução de pequenos problemas. Pequenos para você, que entende do assunto, mas para os usuários certamente serão problemas relevantes o suficiente para pagarem bem por este serviço.

 

  1. Web Designer

Antigamente, para desenvolver sites, era quase imprescindível ser de TI e no mínimo, conhecer bem linguagens de programação (HTML, Java, etc.). Esse trabalho era muito especializado e custava muito caro. A realidade agora é outra. Ficou muito mais simples desenvolver sites usando ferramentas como Wix, Webnode e Nuvemshop, só para ficar em alguns exemplos.

Só que, certamente, ainda é necessário possuir um perfil técnico e que seja familiarizado com um conhecimento intermediário das tecnologias de uso pessoal. Além de possuir uma visão gráfica para harmonizar as telas, imagens e cores.

Se os investimentos agora são mais baixos, podemos nos perguntar se vale a pena empreender nesse ramo. A questão é que como o serviço se popularizou, com valores mais acessíveis, há um número muito de pessoas e empresas precisando desenvolver sites. É exatamente aí que está a oportunidade.

 

 

  1. Professor de EAD

O segmento de educação, em geral, tem sido um dos que mais cresce, e vem se expandindo na modalidade de ensino à distância. Por conta disso, cresce também a necessidade de professores que tenham perfil, e possam estar disponíveis para ministrar aulas online, ao vivo ou através da produção e geração de conteúdo.

Você vai precisar de uma estação de trabalho e um software de conferência como Skype ou serviço Google Hangout. Existem também plataformas prontas para construção de conteúdos interativos, e não esqueça, seu maior ativo é seu conhecimento no tema específico que irá atender. As ferramentas são apenas meios para você “entregar” seu conteúdo, não devem ser vistas como um empecilho.

Conclusão

Se você se identificou com algumas dessas sugestões, não perca tempo, saia na frente em 2020 e aproveite a retomada do crescimento econômico.

Dica importante: antes de mais nada faça um plano de negócios. Pode ser algo simples como uma planilha com custos e projeção de vendas, ou mesmo algo mais elaborado se sua ideia já estiver mais madura.

Em muitos casos você pode começar de casa, mas se quer mesmo empreender deve pensar grande, e se preparar para um crescimento rápido, caso ele aconteça até mesmo antes do planejado.

Uma boa alternativa são as empresas de coworking, onde você pode contratar um espaço em uma baia, posto de trabalho ou sala, de diversos tamanhos. O investimento é baixo (a partir de R$ 300,00 mensais) e à medida que o negócio for crescendo é possível mudar para uma sala maior. É possível o uso compartilhado de salas de reunião, serviços de impressão, espaço para um coffee break. Tudo isso sem ter de alugar um espaço próprio, onde o investimento inicial é bem mais alto e pode acabar desencorajando sua iniciativa.

Agora então a bola está com você, mãos à obra e bons negócios em 2020!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *